Plano de Desenvolvimento Regional da Cova da Beira

A necessidade de um planeamento local racional e fundamentado para cada região está a tornar-se cada vez mais evidente para que possamos alcançar um desenvolvimento sustentável global, que garanta o bem-estar de todos. 

            Todo o conceito de globalização económica está ser minado por eventos históricos de evidenciam a fragilidade da estrutura, com as ruturas das cadeias logísticas de produção e distribuição, com a situação de guerra afetando o sector de energia e da produção alimentar, com aumento de desigualdades económicas dentro de diferentes sociedade e entre regiões. A necessidade de criação de regiões resilientes, com capacidade de resistir a choques provenientes do exterior, está sobre a mesa.

            Desde 2020 o Prip está a preparar o terreno para um processo participativo para criar um plano de desenvolvimento integral para a Cova da Beira (Belmonte, Covilhã e Fundão), que irá progressivamente utilizar e valorizar os recursos endógenos da região, tanto humanos como naturais, e que permitirá o despoletar de ações concretas para impulsionar a economia local, aumentar o nível e a qualidade de vida da população residente e elevar a resiliência económica regional.

            Este será um processo de planeamento que depende do envolvimento da comunidade local, pelo que se destina a incluir instituições governamentais (municípios) e não governamentais de várias esferas (empresarial, cooperativas, educacional, social, cultural, saúde, etc.). Este processo participativo será a base para a construção de soluções  emergentes e a força motriz para a implementação de ações que visam a resiliência da Cova da Beira .

            Do trabalho coletivo surgirão propostas que pretendem servir de soluções práticas para os problemas sociais e económicos vividos pela população da Cova da Beira e assim promover o desenvolvimento desta bio-região.

Metodologia

            O trabalho envolve 4 fases a saber:

Fase 1 Recolha de Dados

            Recolha de dados estatísticos a nível nacional, regional e local e enquadramento a nível europeu;

            Resumo dos dados sobre a região e conclusões iniciais;

            Envolvimento da comunidade, organizações governamentais e não governamentais locais, líderes locais, etc;

            Entrevistas às partes interessadas;

Fase 2 Análise de Dados

            Compilação e revisão de dados estatísticos com base nos resultados da entrevista

Fase 3 Planeamento/ Criação de propostas 

            Criação da “visão da Cova da Beira

            Dar prioridade às soluções a serem trabalhadas; 

            Formulação de estratégias, ações concretas, projetos, políticas, etc., para o desenvolvimento da região da Cova da Beira, por grupos de trabalho;

            Enquadramento da estratégia do Plano de Desenvolvimento Regional (PDR), dentro de uma visão ampla;

Fase 4 Implementação de ações

            Os grupos trabalham em ações/projetos concretos que põem em prática as propostas apresentadas;

            Acompanhamento dos trabalhos em sessões plenárias coletivas;

            Relato dos resultados do PDR;

            Estas fases não são estanques, a sequência de uma fase para a seguinte não é linear e o que acontece exatamente em cada fase será definido pelo conjunto de intervenientes. Estamos atualmente na fase 2 ao terminarmos a revisão da primeira ronda de entrevistas, e ao mesmo tempo continuamos com mais entrevistas e contactos com as partes interessadas que queiram aderir e estar envolvidas no PDR.

Entrevistas às partes interessadas 

            Nas entrevistas individuais com as partes interessadas, feitas através de uma conversa, na sua maioria presencial e informal, abordámos a perceção e o sentimento sobre os principais desafios da região, que soluções podem ser sugeridas ou em que soluções algumas já estão a funcionar, que áreas de melhoria são identificadas e que potencial é reconhecido na região. Foram também identificadas várias potencialidades ou recursos inexplorados na Cova da Beira.

            Até ao momento foram entrevistadas as seguintes Instituições:

Organizações Académicas, de Educação e de Investigação

            Universidade da Beira Interior

            Escola Profissional do Fundão

            Observatório para a Economia e Desenvolvimento Social

Cooperativas e Associações Agrícolas 

            Associação BioEco

            Cooperativa Agrícola de Olivicultores do Fundão

Associações Empresariais 

            Associação Empresarial da Beira Baixa

            Associação Empresarial Covilhã, Belmonte e Penamacor

Associações Culturais

            Associação Cultural da Beira Interior

Movimentos Ambientalistas

            Movimento Académico para a Proteção Ambiental 

Instituições Governamentais

            Câmara Municipal de Belmonte

            Câmara Municipal da Covilhã

            Câmara Municipal do Fundão

Organizações de Inovação

            Living Lab da Cova da Beira – Incubadora a Praça

Associações de Desenvolvimento Rural

            ADERES

            Beira Serra

Organizações Sociais e Humanitárias

            Santa Casa da Misericórdia de Belmonte

            Santa Casa da Misericórdia da Covilhã

            Santa Casa da Misericórdia do Fundão

Organizações de Turismo

            ADXTUR – Agência de Desenvolvimento Turístico das Aldeias de Xisto

Ponto de Situação e Futuros Passos

            Depois da Fase 2, vamos entrar na Fase de Planeamento e Criação de Propostas com as instituições e pessoas interessadas, divididas em grupos de trabalho a partir do próximo mês de Setembro. Entretanto estamos a organizar sessões de auscultação de cidadãos sobre estas temáticas, tendo sido realizados até ao momento 2 eventos na Cooperativa Coolabora na Covilhã e no Mercado Eco de Alpedrinha, no concelho do Fundão.

            Para saber os resultados preliminares do trabalho e mais informação detalhada, pode consultar o relatório disponível neste site.

Francisco Dinis

Membro da equipa do Prout Research Institute de Portugal

Shanti AgostinhoPlano de Desenvolvimento Regional da Cova da Beira

Leave a Reply

Your email address will not be published.