Neohumanismo

O Neohumanismo é uma visão integrante do mundo que defende a existência harmoniosa entre os seres humanos, a vida animal e vegetal, e todo o meio ambiente. Pode definir-se como uma ecologia espiritual baseada no respeito e na apreciação do valor existencial de todos os seres do Universo. Por norma, as filosofias baseadas na supremacia do Ser Humano tem uma visão utilitária dos restantes seres vivos e do meio ambiente. Muitas vezes, isto leva ao abuso e ao desequilíbrio do mundo natural, pois tendemos a reservar-nos o direito de por e dispor como bem entendemos de tudo o que consideramos “útil” para os nossos interesses egoístas, enquanto destruímos ou negligenciamos o que se torna “inútil” para os nossos objetivos. O Neohumanismo defende que tudo neste Universo tem um valor intrínseco pelo simples facto de existir.

P. R. Sarkar definiu o Neohumanismo como “a libertação do intelecto”. Ele argumenta que a nossa mente está normalmente limitada por sentimentos mesquinhos e egoístas. Desde pequenos que nos ensinam a criar barreiras que nos separam das pessoas que consideramos como diferentes de nós e do grupo ao qual pertencemos. Isto leva-nos a ter apego a uma determinada zona geográfica, limitada a um pequeno grupo racial, social, político ou ideológico, cultural, económico ou religioso. Assim, todos aqueles que não pertencem ao nosso grupo tornam-se “estranhos”, inimigos”; são “os outros”. Estes sentimentos podem levar à intolerância, ao fanatismo, aos dogmas, à violência, à exploração económica e social e à destruição mútua entre dois grupos. A exploração destrutiva e descontrolada de outros seres vivos e do meio ambiente também é um resultado do sentimento de superioridade que os seres humanos sentem em relação às outras espécies de animais e restantes seres vivos e recursos naturais.

Educação Neohumanista

Segundo P. R. Sarkar, uma educação apropriada é o melhor modo de desenvolver e expandir a mente Humana. Essa educação deve contemplar não só o conhecimento referente ao mundo físico, mas também deve ter em conta o desenvolvimento emocional e espiritual do aluno e ensiná-lo a manter uma relação harmoniosa com todos os seres vivos e objetos do planeta. A educação não deve apenas dotar a mente humana de conhecimento sobre as realidades do mundo físico (matemática, tecnologia, biologia, etc), ela deve estimular o desenvolvimento da personalidade e encorajar cada indivíduo a descobrir a sua unicidade e a desenvolvê-la ao máximo para o seu bem-estar e para poder contribuir para o bem-estar dos demais habitantes deste planeta. Em sânscrito diz-se: “Savidyayavimuktaye”: a educação é aquilo que nos liberta.

Citando P. R. Sarkar:

“O verdadeiro significado da educação compreende o desenvolvimento trilateral dos níveis físico, mental e espiritual. Este desenvolvimento deve melhorar a integração da personalidade humana (…) Educados são aqueles que aprenderam muito, que recordam muito e que utilizam esse conhecimento na sua vida prática.”

Com a ajuda deste tipo de educação, e fortalecendo a nossa capacidade de discernimento, torna-se possível crescermos além destes complexos que bloqueiam a nossa mente. Expandir a mente significa ir além de todas estas distinções artificiais que nos separam dos outros e nos fazem lutar em competição feroz. O Neohumanismo é um ideal universalista no sentido em que defende que o ser humano é apenas uma raça. A raça humana. Somos apenas uma sociedade, a sociedade humana. Um planeta, um povo. A verdadeira educação permite-nos libertar a mente e converter-nos em seres humanos responsáveis, benevolentes, universais e respeitadores do outro e de toda a vida neste planeta. Ao expandir o nosso círculo de compaixão de modo a abranger todo o planeta e tudo o que nele está contido, podemos criar uma consciência global capaz de criar uma sociedade sã, ética e progressista. Quando formos todos um só povo, como poderemos lutar? Como poderá um soldado ir à guerra matar um irmão da sua família universal? Como poderá um rico explorar um pobre se ambos se sentirem e conceberem como iguais em valor e direito?

Pedro Alves

Maheshvara PachecoNeohumanismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *